‘Batidão Tropical’: dessa vez Pabllo Vittar foi longe demais?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
CANTORA LANÇA QUARTO ÁLBUM DA CARREIRA E CLIPE DE "TRISTE COM T".

Phabullo Rodrigues da Silva ou Pabllo Vittar lançou o aguardado seu quarto álbum trazendo uma combinação de forró e tecnobrega prometendo exaltar a cultura das regiões Norte e Nordeste para todo o Brasil.

Não existe um brasileiro que não conheça quem é Pabllo Vittar, a drag queen vem colecionando hit atrás de hit em sua carreira de sucesso país afora. Na última quinta feira (24/06) Pabllo lançou seu quarto álbum de estúdio ‘Batidão Tropical’ trazendo um misto de regravações e músicas inéditas com a proposta de trazer seus fãs para cada vez mais perto da pessoa que é.

História

Mas quem é Pabllo Vittar? Nascido em São Luís, no Maranhão, desde a adolescência Phabullo (seu nome de registro) demonstrou interesse e talento para a música. Aos 16 anos se mudou para São Paulo para seguir seu sonho de entrar no mundo da música e aos 17 iniciou seus trabalhos como drag queen mudando para sempre a sua vida.

Sua primeira música que a fez visível no pop nacional foi em 2015 com a versão brasileira da música ‘Lean On’ do grupo norte-americano Major Lazer. ‘Open Bar’ é uma faixa descontraída que mistura o eletrônico com o samba já chamando a atenção do público brasileiro logo de cara.

O ano de 2017 foi um divisor de águas em sua carreira, com o seu primeiro álbum, Vittar trouxe hits como ‘K.O.’ e ‘Corpo Sensual’ que estouraram nas rádios e plataformas digitais do país todo. O disco ‘Vai Passar Mal’ mostrou a audiência que Pabllo não ia ser uma artista passageira, e que tinha muito mais o que mostrar, você literalmente PASSA MAL com os looks, performances e ritmo dessa era.

A partir daí foi cada vez mais sucessos, os seus álbuns seguintes ‘Não Para Não’ e ‘111’ foram ainda mais estourados, além de uma coletânea de feats de sucesso com cantores como Anitta, Luísa Sonza, Ludmilla, Dilsinho e Psirico.

No mercado internacional Pabllo também se mostrando cada vez mais presentes, além de músicas como ‘Sua Cara’, parceria de Anitta e Major Lazer, Pabllo também lançou “Flash Pose’ com a britânica Charlie XCX e se apresentou no Rock in Rio ao lado de sua ídola Fergie.

Com o seu mais novo trabalho, Pabllo traz algo diferente de tudo o que já produziu antes, saindo um pouco do cenário pop eletrônico, a drag aposta em ritmos que remetem as regiões Norte e Nordeste do Brasil. Com seis regravações e as inéditas ‘Ama Sofre Chora’, ‘Triste com T’, e a ‘A Lua’, a cantora inova trazendo um pouco de seu passado e talvez um novo caminho para a sua carreira.

Referências

Bandas como Magníficos, Desejo de Menina, e Aviões do Forró são referência para Pabllo e que remetem sua vida maranhense antes da fama. Um movimento arriscado já que seu público talvez nunca tenha escutado músicas como ‘Ânsia’, ‘Bang Bang’ mas que também pode trazer esses novos ouvintes a ouvir algo que exala um Brasil diferente e super cultural.

Em entrevista ao G1, Pabllo menciona a cultura do cringe e que devemos sim exaltar o que é nosso, sua principal proposta com este novo álbum é mostrar para essa nova geração das dancinhas do TikTok o que fazia sucesso a 10 anos atrás e que é tão bom quanto o que se está em alta hoje em dia.

Em suas músicas novas ela também não esconde suas raízes e inspirações em ‘Ama Sofre Chora’ (primeira música divulgada neste novo trabalho) em uma letra melancólica e batida envolvente, Pablo traz o conceito de casamento de uma forma divertida e inovadora.

Novo momento

Na música ‘Triste com T’ temos uma batida que seria facilmente cantada pela banda Calcinha Preta, de uma forma irreverente Pablo brinca com os dois sentimentos de estar Triste mas com Tesão. Em ‘A Lua’ temos uma canção perfeita para sair pelo salão arrochando em seu par.

É como muitos dizem “Pabllo foi longe demais”, desta vez trazendo o público para mais perto do que a gente imagina, exalando cultura brasileira e letras irreverentes Pabllo Vittar mostra de uma forma orgulhosa e animada que sim devemos valorizar mais a nossa cultura e que pode sim ser uma diva pop internacional como uma fervorosa garota dos bailes de forró.

Ouça “Batidão Tropical”:

Texto: Gabriel Moura (@Alvesmoura2021) – Embaixador do Prêmio Jovem

Edição: Daniel Outlander

Foto: Divulgação / Ernna Cost

Equipe Prêmio Jovem

Equipe Prêmio Jovem

A maior premiação jovem do mundo!

deixe seu comentário!

CADASTRE-SE ABAIXO

    Skip to content ...