Beyoncé estrela capa de revista e confirma músicas inéditas em breve

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Cantora divulga coleção inspirada em rodeios.
CANTORA DIVULGA COLEÇÃO INSPIRADA EM RODEIOS.

Beyoncé deu uma rara entrevista para a nova capa da Harper’s Bazaar, onde ela foi questionada se ela lançaria novas músicas em breve.

Beyoncé disse a Harper’s Bazaar: “Com todo o isolamento e injustiça do ano passado, acho que estamos todos prontos para escapar, viajar, amar e rir novamente. Sinto um renascimento emergindo e quero participar da criação dessa fuga de todas as maneiras possíveis. Estou no estúdio há um ano e meio. ”

Ela então elaborou sobre seu processo de composição musical: “Às vezes, leva um ano para eu pesquisar pessoalmente entre milhares de sons para encontrar o bumbo ou caixa certo. Um refrão pode ter até 200 harmonias empilhadas. Ainda assim, não há nada como a quantidade de amor, paixão e cura que sinto no estúdio de gravação. Depois de 31 anos, é tão emocionante quanto quando eu tinha nove anos. Sim, a música está chegando!”

Ensaio fotográfico

Dessa forma, em meio a divulgação uma nova coleção de roupas, toda inspirada em rodeios, Beyoncé mostra o estilo único dos cowboys e cowgirls do country americano. Além disso, também tem uma questão social por trás de tudo, onde relembra a história invisibilizada dos negros, seu impacto e influência no meio.

“Depois de mais de duas décadas sob os holofotes, Beyoncé se tornou muito mais do que um ícone pop. Ela é uma força cultural que sempre desafiou as expectativas e transformou a maneira como entendemos o poder da arte para mudar a forma como vemos a nós mesmos e aos outros. Mas aos 40, ela sente que apenas arranhou a superfície”, destaca a Harper’s Bazaar.

Sobre a pressão em ser uma mulher negra de representatividade, Beyoncé conta: “Sentia, como uma jovem negra, que não poderia estragar. Senti a pressão de fora e seus olhos me observando tropeçar ou falhar. Eu não poderia decepcionar minha família depois de todos os sacrifícios que eles fizeram por mim e pelas meninas. Isso significava que eu era a adolescente mais cuidadosa e profissional e cresci rápido. Eu queria quebrar todos os estereótipos da superestrela negra, seja sendo vítima de drogas ou álcool ou do absurdo equívoco de que as mulheres negras estavam com raiva. Eu sabia que tinha recebido esta oportunidade incrível e senti que tinha uma chance. Recusei-me a estragar tudo, mas tive que desistir muito”.

Daniel Outlander

Daniel Outlander

Tenho 28 anos, sou jornalista e publicitário e Jovemnático! Amo música, cultura em geral, e assino a edição dos textos no site do Prêmio Jovem Brasileiro.

deixe seu comentário!

CADASTRE-SE ABAIXO

    Skip to content ...