Florence + The Machine revela ‘King’, seu retorno à música

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
FAIXA INÉDITA CHEGA ACOMPANHADA DE VIDEOCLIPE.

Florence + the Machine surpreende ao lançar a nova faixa, “King”, uma meditação sobre a condição feminina, família, feminilidade e a subversão de expectativas.

Além disso, que faz um manifesto pessoal em transcender papéis definidos por sexo em um festival de fusão. Que, dessa forma, clama as multidões às armas em que ela declara:

Eu não sou mãe, não sou noiva – eu sou rei”.

Ser uma artista mulher – e uma artista que atua – proporciona seu próprio conflito sobre como prosperar e continuar no mesmo caminho que os artistas masculinos cujas estrelas continuam ascendendo, no qual caminho para o sucesso não é trilhado pela biologia.

Assim, em seus 30 anos de idade, estas são as contradições que Florence está enfrentando.

“Como artista, nunca pensei muito em meu sexo. Resolvi seguir em frente. Eu sou tão boa quanto os homens e somente me igualei a eles todas as vezes. Mas agora, ao pensar que sou uma mulher na casa dos 30 anos e no futuro… de repente sinto essa ruptura da minha identidade e dos meus desejos. Querer ser uma artista, mas também querer uma família pode não ser tão simples para mim como é para os meus colegas homens. Eu tinha como modelo quase exclusivamente os artistas masculinos e, pela primeira vez, senti um muro cair entre eu e meus ídolos, pois tenho que tomar decisões que eles não tomaram”.

O vídeo é dirigido por Autumn de Wilde.

Veja o clipe de “King”:

Daniel Outlander

Daniel Outlander

Tenho 28 anos, sou jornalista e publicitário e Jovemnático! Amo música, cultura em geral, e assino a edição dos textos no site do Prêmio Jovem Brasileiro.

deixe seu comentário!

CADASTRE-SE ABAIXO

    Skip to content ...